Muitos Amigos e Companheiros têm reclamado que gostariam de conhecer minhas opiniões sobre os assuntos do dia-a-dia, sobre as matérias dos noticiários, etc. Sempre ignorei tais instâncias porque, em primeiro lugar, pouca importância dou ao que a imprensa burguesa veicula, e, segundo, não entendo a relevância da opinião pessoal de um indivíduo que nunca se notabilizou em coisa alguma e que é o famoso “lustre desconhecido”. Mas, de uns tempos a esta parte, as solicitações estão se tornando mais constantes e algumas até raiando a impertinência, então, resolvi atender ao pedido. Todavia, posso adiantar que, para a decepção geral, minhas opiniões, via de regra, discordam da opinião dominante, são politicamente ultra incorretas e chocarão certamente a sensibilidade burguesa.

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

O Chulé do Pezão


O Governador Luiz Fernando de Souza, popularmente conhecido pela alcunha de Pezão, fez jus ao seu apelido e deu um baita pesão na população do Estado do Rio de Janeiro. Alegando queda na arrecadação do ICMS e nos royalties do Petróleo, ele fez cortes desastrosos no orçamento de diversas Secretarias. Só na área da Educação foram mais de 500 milhões de corte, na Secretaria de Saúde foram cortados 400 milhões,  e até na Segurança, que é sua menina dos olhos, e cujo titular é o  Beltrame, favorito de Cabral, ele fez um pequeno corte de 85 milhões. Aos terceirizados que já não vinham recebendo só resta o recurso à greve.

A queda de 2 bilhões na arrecadação dos royalties do Petróleo é uma das razões alegadas, MAS, um “crédito” de R$2.100.000.000,00 foram concedidos a uma Empresa! Aliás, a mesma Empresa foi beneficia com o diferimento de ICMS... Tudo bem detalhado no D.O. do dia 06 de Janeiro de 2015.

A arrecadação do ICMS, por conta da crise econômica, também diminuiu, o que seria outra justificativa para os cortes. No entanto, o Governo concedeu isenção de ICMS as Companhias de Ônibus e manteve a isenção de 50% do IPVA para mesmas Empresas, que fora presenteado por Sérgio Cabral, em 2014. O que não impediu o aumento das passagens para R$3,40 no Município do Rio de Janeiro e do aumento dos ônibus intermunicipais, que passarão de R$5,25 para R$5,90(!), em 1º de Fevereiro próximo. Em outras palavras, o cartel da Fetranspor tem o seu lucro aumentado, quer pelas isenções, quer pela transferência obrigatória diária de milhões de reais dos bolsos dos passageiros para as arcas do Barata e caterva.

Como se vê é um Governo de benesses para os Empresários e de arrocho para o restante da População.

Fico aqui me perguntando até quando vamos aturar este molambo moral a testa do Governo do Estado? Está mais do que na hora de mandar o Pezão de volta para o sapato, pois o mau cheiro da sua administração é nauseabundo.


Anauê!

Nenhum comentário:

Postar um comentário